Links quebrados? Reportem no Discord!

Otona Joshi no Anime Time: Yuuge (2013)


Yo minna.

Os ventos da nova temporada sopraram, e hoje estou trazendo o primeiro dos especiais desta segunda fase de Otona Joshi no Anime Time. O especial se chama Yuuge, Ceia em português, mas eu prefiro chamar de “Como ganhar um belo par de chifres em pouco tempo.” Atentem-se para o rage que se segue, acho que este é um dos posts mais revoltados e feministas que já escrevi, então tirem as crianças da sala (até porque este é um anime direcionado para mulheres adultas).
Vamos lá, neste especial , a protagonista Mimi-chan vai ensinar a incrível arte de ser infeliz em um relacionamento eternamente. Ok, antes de começar, cabe uma explicação de que a cultura no Japão é diferente da nossa cultura. Aparentemente, apesar de estarmos em 2013, quando uma mulher se separa por lá, é tratada como se fosse lixo mesmo, algo que ninguém mais vai querer, nem a família e nem os outros homens (não para um relacionamento sério). Por isso, a protagonista deste episódio é alguém que encontrou a felicidade no simples fato de viver para alimentar, cuidar e dar prazer ao homem que aceitou ficar com ela, após ter fugido de casa. E por isso, nós não vamos conseguir sentir empatia nenhuma por ela (falo por mim e por um monte de gente que vi dizendo exatamente a mesma coisa nos fóruns da vida, não sei se existe alguém que se enxergue na mesma situação que ela lol). Ironia ou não, mas fizeram deste único homem que aceitou “o fardo de pegar uma mulher fugida de casa” um lixeiro! Sim, o par da nossa protagonista trabalha como lixeiro, e ela mesma diz que a coisa mais perigosa que ele já achou no lixo foi ela mesma LOL.
Deixando um pouco a história de lado, o especial possui uma animação bem diferente. Em vários pontos, a animação é substituída por cenas de coisas de verdade, como as comidas que a Mimi-chan prepara, a cozinha dela (que só vira animação no flashback) e a própria Mimi-chan, que enquanto está cozinhando, vira uma pessoa “3D”. Além disso, as cores vivas da cozinha dela, em contraste com o preto e branco que são as cenas de quando ela estava com o marido, passam a ideia de uma vida mais feliz.
Voltando a falar da indignação, esta personagem adora seguir regras para tudo, como vocês vão ver, então vamos às regras básicas que ela está criando para ser “corneada” futuramente:
1- ) Se você puder ser substituída pelos seguintes itens, ele não te ama de verdade, só quer conveniência:
- Um cachorro/gato/pássaro (o próprio Kou diz isso pra ela no episódio lol)
- Uma empregada/cozinheira/a mãe dele
- Uma boneca inflável (ela mesma admite que é melhor na cozinha do que na cama lol²)
2-) Se você for morar com alguém que sente atração, só porque quer se livrar de um casamento que não deu certo, você não ama esta pessoa de verdade, só quer fugir.
3-) Se você vive em função de outra pessoa em detrimento de si próprio, como se fosse para pagar uma dívida que fez com esta pessoa, uma dívida por ela “gostar” de você e querer te ajudar, não é por causa de amor e você merece ser infeliz mesmo.
4-) Quando você está perto dos 30 anos e deixa de ser mulher para virar garota, é claramente um sinal de que não é levada a sério (ok, aqui é exagero mesmo, porque dependendo da forma que vocês olhem, foi a cena mais romântica do episódio todo).
5-) Se você é submissa, chata e seu mundo se resume a sua cozinha, ele uma hora vai se cansar e vai procurar aventuras por aí, te deixando esperar, enquanto a comida que preparou com tanto carinho vai esfriando…
“Mas Aoisaika, você está exagerando, não é bem assim…”
Sim, em algum momento isso pode se tornar amor de verdade, a vida é imprevisível… mas… só na ficção mesmo.
Na dúvida, pergunte para a MULHER mais experiente que você conhece ou faça ela assistir ao episódio e pergunte para ela o que achou. Perguntei para a minha mãe, por exemplo, e disse tudo isso que estou escrevendo aqui. Ela se emocionou, deu um tapa no meu ombro e disse: “Você virou adulta.” Bom, a vida é assim, né? Tomem isso como um bom exemplo para o futuro, do que não fazer, e assim o especial se tornará algo com uma lição de valores importante. Claro que isso tudo que eu disse tem um certo tom de brincadeira, porque a dinâmica dos relacionamentos não segue uma fórmula mágica. Mas para qualquer pessoa um pouco mais mente aberta, Yuuge certamente vai transmitir um pouco de indignação em algum momento, porque como eu disse anteriormente, é MUITO DIFÍCIL sentir empatia por esta personagem. O lado positivo: aprendi como tirar a pele de um tomate de um jeito fácil, graças a este especial lol. Obrigada, Mimi-chan!
E parando para pensar, se a Mimi-chan tivesse tido um filho com o marido que não amava e se casou só porque a família arranjou o casamento, ela seria a protagonista do primeiro especial de Otona Joshi no Anime Time – Kawamo o Suberu Kaze, que saiu em 2011! E bom, eu gostei muito mais do primeiro do que deste primeiro episódio desta nova fase de Otona Joshi, porque a carga dramática era maior (apesar da Noriko também ser uma tonta que deixou a felicidade escapar, mas é possível compreender o porquê ela fez isso e sentir dó dela). Enfim, vamos aos links e espero que apreciem o trabalho, apesar da história:

Otona Joshi no Anime Time – Yuuge (2013) [HD - 10bit] [FF] [UB] [UP*] 

“Quando você chegar em casa, estarei esperando com a comida pronta.”
Não esqueçam de atualizar os seus codecs.
E se por um lado tive um momento de rage aqui, no próximo especial vou tecer milhares de elogios. O próximo é o Jinsei Besuto 10, ou “As 10 melhores coisas da vida”, e eu já vi a raw e adorei. Aí sim me identifiquei totalmente com a protagonista hahaha. Mas falo disso quando o especial sair, que não deve demorar muito.
Até mais, com mais episódios.
Aoisaika.

0 comentários:

Postar um comentário